8 dicas de como planejar uma viagem para o Nordeste na pandemia

Primeira coisa que vem à cabeça é o medo, o receio da contaminação, do desconhecido, de não ter certeza sobre a segurança de viajar de avião, de não saber se o local da hospedagem estará devidamente higienizado, de não encontrar informações se os pontos turísticos estarão abertos, se haverá o mínimo de estrutura para o viajante, entre outros senões.

A outra coisa que vem na cabeça é: já fiquei em casa nos feriados, nas férias de julho, durante um tempão e não aguento mais esse isolamento. Não sei mais o que fazer com a criançada, que vai passar quase dois meses em casa sem atividades, num calorão imenso. E aí? Será que eu arrisco ou não?

Pois bem, vamos lá, se você ainda está em dúvida ou se você já decidiu colocar as asinhas de fora, mas não tem ideia do que vai encontrar por aí, eu vou te contar em detalhes como planejar uma viagem nesse período de incertezas e não passar nenhum perrengue (ou quase nenhum…).

Não restam dúvidas de que, caso você resolva viajar, você deve ficar no seu país ou ir para algum lugar que você tenha o mínimo de estrutura de saúde e de segurança de poder voltar, caso aconteça alguma coisa com você.

Dentro do Brasil, o Nordeste é um dos muitos destinos turísticos cobiçados para o momento!

Aqui vão então as 8 dicas imperdíveis que você precisa ter em mente ao planejar sua viagem:

  1. Passagem aérea

Desde o início deste ano, as companhias aéreas fizeram inúmeras promoções de passagens. Passagens foram vendidas a preços nunca antes vistos, independente da alta do dólar. Antes do meio do ano, foi possível comprar passagens para Ásia por 4 mil reais, para a Europa e EUA por 1200,00 e até para as Maldivas por 5 mil! Quando se percebeu que quase nenhum país do mundo estava com fronteiras abertas, as companhias nacionais, com a malha aérea já extremamente reduzida, começou a liquidar os preços das passagens nacionais. Era fácil encontrar passagem para qualquer lugar do Nordeste, por R$350,00 ida e volta a partir de São Paulo, por exemplo. Se você garimpasse bastante, dava para encontrar pechinchas como SP-Recife por R$200,00 ida e volta (experiência própria).

Quem tinha milhas, também foi agraciado com inúmeras promoções. Mas e aí, se eu tivesse que cancelar a viagem, faria o que?

Sem problemas, as companhias disseram. Podem cancelar, remarcar para mais para frente, sem nenhuma taxa. Assim! Livre, leve e solto.

Bom, como tudo que é bom dura pouco, elas (as companhias aéreas) começaram a perceber que as pessoas estavam comprando passagens demais e perceberam também que seria quase impossível sustentar preços e condições de compra daquela maneira.

Então, a partir de agosto, as coisas começaram a mudar. Os preços ainda estavam bons, mas havia limitação de remarcação e algumas taxas já passaram a ser cobradas. As pessoas começaram a viajar e se deparar com cancelamentos constantes de vôos e overbooking excessivo.

Mês a mês as condições de venda começaram a retornar para o modo original (com a cobrança de taxas) e as tarifas começaram a subir, principalmente para destinos nacionais.

Tudo bem, mas aí você pergunta: por que eu contei toda essa história? Não era para dar dicas sobre passagens aéreas? Sim, certamente, mas precisa te explicar todo esse histórico para te dizer que não, não adianta achar que estamos na pandemia e que toda essa moleza inicial se mantém até hoje, porque definitivamente, não está mais como era.

Minhas dicas para você comprar uma passagem aérea para o Nordeste agora, não muda muito do que seria uma dica de compra sem pandemia, ou seja, pesquise bastante e tenha segurança da data da viagem na hora da compra, do contrário, você vai pagar altas taxas de remarcação.

Além disso, FAÇA O CHECK-IN ONLINE. Não importa o que aconteça, o que você esteja fazendo, faça o check-in no exato momento que ele abrir (normalmente 48 a 72h antes do horário do seu vôo). Por conta da redução da frequência dos vôos, muita gente tem se deparado com overbooking no embarque. A diferença é que, há um tempo atrás, se você fosse exposto a essa situação, a companhia te oferecia um vôo na sequência. Agora, o risco de não ter esse vôo é grande demais e você pode se ver numa situação de um adiamento de 1 a 2 dias. E daí? Hotel, reservas, carro… então, problema é seu, entendeu? Por isso, faça o check-in online.

No dia do vôo, chegue efetivamente com 2 a 3 horas  de antecedência. Não por conta dos procedimentos “pandêmicos”, pois te asseguro que nada de diferente está sendo feito pelos aeroportos do país, pelo menos em nenhum que tenha passado (e te digo que passei por alguns). O máximo que vi foi álcool gel espalhado em alguns pontos, todo mundo usando máscara, cadeiras impossibilitadas de uso para evitar aglomeração e só… nada diferente disso. Então, tudo normal… Mas chegue cedo para garantir seu lugar e não esqueça da máscara (senão você nem embarca) e de um lanchinho, caso faça um vôo mais longo (nada é servido durante o vôo, em nenhuma companhia brasileira).

Última dica (dessa primeira): confirme seu vôo ficando atento aos avisos da companhia que você escolheu para voar. Como? Baixe o aplicativo e habilite o pushing (é quando você permite que sejam enviadas mensagens para você). Não perca tempo ligando na companhia. Ative essa função e você vai ser o primeiro a saber se alguma mudança acontecer no seu vôo.

  1. Seguro de saúde

Aconteça o que acontecer, faça um seguro saúde de viagem, começando no dia que você embarca e terminando, no mínimo 1 dia depois, para o caso do vôo atrasar ou ser cancelado.

Você pode se perguntar: mas eu estou no Brasil, tenho seguro de saúde… então, cheque com sua seguradora se o seu plano cobre gastos em outro estado se você estiver viajando. Normalmente sim, mas é bom checar.

Com a pandemia, diversas regras sofreram modificações, então, não custa dar uma olhada no site da sua seguradora ou dar um telefonema rápido.

Cheque também se cobre despesas relacionadas à COVID-19 e se, no lugar que você vai, tem algum hospital/clínica conveniada.

Prevenir nunca é demais!

  1. Hospedagem

O Nordeste tem opção para todos os bolsos, mas uma dica valiosa nesse momento de pandemia é o Airbnb. É claro que a comodidade de estar em um hotel é excelente. Não precisa se preocupar com nada, tem limpeza no seu quarto diariamente, tem café da manhã, tem amenities no banheiro, frigobar, tem piscina, spa, sauna, um monte de coisa bacana, obviamente dependendo da categoria do hotel mas, tem pandemia também. Qual o problema disso? Muitas áreas dos hotéis podem estar fechadas, inclusive o próprio restaurante que talvez não sirva mais aquele buffezão de café da manhã e tenha alterado por um à la carte bem mais simples.

A grande vantagem do Airbnb nessa época é exatamente o isolamento social, a não aglomeração em áreas comuns, a facilidade de você poder fazer sua própria comida em casa. E olha que tem opções excelentes que não deixam nada a desejar para um hotel.

Eu tinha um pouco de receio ou até posso dizer, de preconceito em viajar e não ficar em um hotel. Em me hospedar “na casa” de alguém. Sei lá, achava super estranho, mas confesso que fui conquistado com as facilidades de poder jantar em casa depois de um dia cheio de passeios e três crianças já meio com sono. Ou até de entender um pouco mais a cultura local e fazer compras no supermercado e poder cozinhar como um local!

É uma experiência bem bacana. Vale experimentar! Se não for por essa plataforma, tem muitas outras que oferecem o mesmo tipo de serviço, inclusive o Booking, o Expedia e o Hoteis também.

Olha a vista da minha sacada em Fortaleza, no Airbnb
  1. Meios de transporte locais

Taxi, Uber, Cabify, receptivos, transfer, ônibus, metrô? Qual desses escolher? Nenhum! Alugue um carro! Além de você ter mais segurança por não estar com pessoas diferentes dentro de um ambiente fechado, você tem mobilidade total. Pode ir para praias mais distantes sem precisar pagar caríssimo por passeios Fica livre para ir e vir de onde quiser, para onde quiser e quando quiser.

Sem dúvida é a melhor opção no Nordeste para esses tempos de pandemia e eu diria que é a melhor opção para qualquer tempo!

  1. Estrutura de praias

Em praias mais famosinhas, mais turísticas, a estrutura de praia está funcionando normalmente. Barracas, restaurante, cadeiras de praia e até música ao vivo. Tudo normal. Mas e aí? Será que é a melhor opção para um planejamento de viagem na pandemia?

Sim e não. Vamos lá!

Sim, porque você pode procurar uma barraca que não tenha aglomeração. Como? Escolhendo uma praia turística, mas nem tanto. Tem muita praia sensacional que conta com um mínimo de estrutura de barracas, mas que não é super ultra visitada por turistas. Principalmente por aqueles mega tours daquela mega empresa que todo mundo conhece, sabe? Fuja dessas praias!

Vá para praias menores, um pouquinho mais distantes da cidade. Afinal você está de carro, não? Leu a última dica, né?

Caso queira evitar definitivamente qualquer tipo de aglomeração ou até contato visual com outras pessoas, o Nordeste é abarrotado (ainda) de praias desertas. Escolha uma sem estrutura alguma, leve seu cooler (isoporzão com aquela farofada), um guarda-sol, umas cadeiras ou umas toalhas ou cangas e se jogue na areia. Diversão na certa, com segurança!

Em São Miguel dos Milagres na barraca e sem aglomeração!
  1. Pontos turísticos

Confira com antecedência os horários de abertura dos principais pontos turísticos e veja quais tipos de restrição vai encontrar por lá. Isso é muito importante para que você entenda quais são as suas expectativas e não fique decepcionado.

Vai dar para conhecer tudo? Não, certamente não. Muitos pontos turísticos estão com horários alternativos, alguns estão fechados, pois o governo aproveitou para reformar, outros estão fechados porque não tem espaço físico o suficiente para que não forma aglomerações.

Então confira muito bem todas as opções e se programe.

Agora vamos falar a verdade: o maior ponto turístico do Nordeste chama praia. Não perca sua chance de viajar porque um museu, um monumento ou um grande mercado estará fechado. Aproveite a praia. Esse precisa ser um dos maiores motivos de querer ir para o Nordeste na pandemia. Certamente é o ponto turístico mais seguro para uma época dessas que estamos vivendo.

Melhor ponto turístico do Nordeste! Sem dúvida!
  1. Comércio local

O comércio está com horário reduzido de funcionamento em grande parte do Nordeste. Tudo está aberto, mas não deixe para comprar aquele souvenir no último dia de viagem. Não espere ficar com dor, para sair em busca de um farmácia, não deixe para comprar um petisquinho (tipo uma castanha de cajú) quando você estiver morrendo de fome. Programe-se. Veja na internet se aquele lugar que você precisa ir está aberto e vá em frente.

Mas a minha verdadeira dica é: será mesmo que você precisa se esbaldar de compras no meio da pandemia? Será que não daria para você ficar/viver com o essencial e aproveitar SOMENTE a praia? Pensa bem…

Tem barraquinhas que vendem de tudo no Nordeste. Com muito menos aglomeração, valorizando o pequeno empreendedor, evitando o trânsito em locais com muita circulação de pessoas. Olha lá! É para você ir sem COVID e voltar igual, hein?!

E lembre-se: vai circular por aí? Vai precisar usar máscara sim! E o calorão é forte. Não é fácil aguentar o tempo todo, mas não tem jeito! E nada de usar a máscara no queixo…

  1. Restaurantes

A grande maioria está aberta o dia todo até às 22h00. Nada de bares que funcionam até tarde e baladões. Tudo precisa fechar às 22h00. E fechar significa fechar mesmo. Ou seja, você precisa estar fora de lá nesse horário. Programe-se para jantar mais cedo. Eu recomendo entre 19h00 e 20h00 para não ter correria.

Lembre-se que o ritmo do Nordeste é mais sossegado então não espere que você chegue em um restaurante e consiga escolher, pedir, comer e pagar em 30 minutos. Essa loucura é só em São Paulo que acontece. No Nordeste as pessoas não são desesperadas e conseguem curtir uma refeição com mais calma. Siga esse estilo de vida e você ficará muito menos ansioso! Temos que aprender (me incluo nessa rsrsrs).

Uma coisa bem chata que não acontece só no Nordeste: muitos restaurantes estão fechados. Para sempre… Pois é, muitos faliram, infelizmente. Não conseguiram passar pela pandemia de forma ilesa. Uma tristeza… e digo de verdade: foram muitos!

Então é bom se certificar de que o restaurante que você escolheu para visitar esteja de portas abertas. Como fazer?

Não recomendo que você se limite a buscar na internet. O Google pode não estar atualizado. Minha recomendação: faça à moda antiga: telefone! Vou te contar um segredo: seu celular serve também para ligar para as pessoas, mesmo que você muitas vezes não lembre dessa funcionalidade incrível desses nossos aparelhos…


E aí, já decidiu se vai encarar ou se vai se resguardar mais um pouco? Sem julgamentos hein! Somos livres para decidirmos nossas ações e não devemos ser julgados por ninguém, desde que respeitemos as regras e também o próximo!


Viva sua vida intensamente a cada dia e sonhe muito, pois só quem sonha, realiza um sonho!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s